Tesourinhos do 1128


 

Ups! Escorreguei...

Olá Lobitos, Exploradores, Pioneiros e Caminheiros, desta vez foi a mim que me desafiaram para vos contar uma experiência que fiz há uns anos atrás...

Tudo se passou no ano de 2001, na Equipa Raposa, constituída pela Beli (que alguns de vocês ainda conheceram como Baguera) , a Ana Rita, a Andreia Costa, a Patrícia Santos a Sara Russo e por mim (Vera).

Nesse ano a chefia da IIIª constituída pela Isabel Machinho (mais conhecida por Amiguinha), a Sónia Martins (ou melhor, a Chanfras), o Nelson Tavares (o Néné) e o Orvil Russo, tinham uma estratégia que consistia em cada campo termos uma “Construção Forte”, ou seja uma construção em que teríamos de inovar e de nos esforçar especialmente. Honestamente não me lembro da data do campo... Acho que foi em Janeiro ou Fevereiro... Mas também não é importante.

No Conselho de Guias os Chefes anunciaram-nos que no próximo campo a construção forte seria a mesa! Sendo esta uma construção forte, teríamos logo de começar a magicar em algo extremamente inovador e nunca antes feito! Logo começámos a eliminar o seguinte: mesas normais, elevadas, em tripé ou quadripé... Humm... Começou a ficar complicado encontrar algo diferente...

Num Sábado à tarde no Café "A Cascata" estavam os dois Chefes da IIª, o Gonçalo (agora Chefe de Agrupamento) e o Jójó (o vosso Akelá) e decidi ir contar-lhes o desafio que nos estavam a fazer e ali em 20 minutos, com a ajuda dos meus ex-Chefes desenhámos o que seria uma mesa completamente diferente e nunca antes vista! Uma mesa e ao mesmo tempo local de convívio!

O passo seguinte foi explicar este magnifico projecto à minha equipa... O que não foi nada fácil! Na primeira reunião nem com desenhos consegui explicar, por isso resolvi fazer uma maquete com palitos e elásticos! Demorou mas consegui atingir o meu objectivo! Consegui que toda a equipa compreendesse o projecto e dividimos todas as tarefas que seriam necessárias fazer para conseguirmos por de pé a nossa ideia!

A mesa consistia numa estrutura que se abria para entrarmos e sairmos (estilo mesas dos bebés) e eram duas mesas uma em frente à outra, em que em cada mesa cabiam 4 pessoas. Quando se elevavam as mesas ficavam dois bancos que serviam de local de convívio para a Equipa.

Chegou finalmente o grande momento o Acampamento, em que pusemos em prática o nosso plano.

Começámos pelas estacas da base, onde foi necessário arranjar 12 estacas da altura da cintura do elemento médio da equipa e 4 da altura do joelho do elemento médio da equipa. Seguidamente arranjámos 6 varas com cerca de 2,40m para serem os suportes.

O passo seguinte foi arranjar 4 varas com cerca de 5m que seriam as alavancas, colocamos as alavancas nos suportes e aplicamos o travão, uma na ponta com 2,40m. O passo seguinte foi construir os bancos. Precisámos de 4 varas com cerca de 60cm para aplicar os tampos dos bancos constituídos por 3 a 4 varas cada um, com 2,40m. Por fim fizémos o tampo. Para cada um precisámos de 6 a 7 varas com os tais 2,40m. Colocamos mais 1 vara em cada banco para fazer os encostos. O último pormenor foi um cabo na parte de traz de cada uma das mesas que servia para prender os tampos de forma a que a mesa ficasse elevada e conseguíssemos ter o nosso local de convívio.

Para esta mesa precisamos do seguinte:
- +/- 54 varas
- 8 Teares
- 28 botões em esquadria

No final foi uma grande alegria porque conseguimos executar o nosso projecto, tal e qual como o idealizámos, ficámos muito contentes.

O jantar foi o grande teste. Íamos estrear o nosso feito! Sentámo-nos todas à mesa e quem veio jantar connosco foi o Néné, fechámos a mesa e começámos a jantar, até que ...:

- Néné: Têm àgua?

Tinhamo-nos esquecido, então...:

- Néné: E agora como e que saímos daqui para ir bucar a água com a mesa posta? Se levantarem o tampo cai tudo ao chão!!!!

Ficámos um bocado paradas a olhar umas para as outras até que...:

- Ana Rita: Ups! Escorreguei...

E dizendo isto saiu por baixo do tampo e foi buscar a água ao Néné. Desatámo-nos todas a rir, mas foi assim que demos a volta à situação e ultrapassámos o defeito da nossa mesa!


No final de contas foi um excelente empreendimento!

Infelizmente não há nenhuma fotografia deste campo, nem desta construção, mas após muita pesquisa nos arquivos da IIIª secção consegui encontrar os desenhos da mesa para vos poder mostrar a ideia.

Espero que tenham gostado e que vos desperte a curiosidade para também vocês conseguirem fazer construções diferentes do habitual que impressionem os vossos chefes, mas que, sobretudo se superem a vocês mesmos!

Uma canhota e boa caça a todos!

Vera Carvalho (Chefe da IIª Secção)

Voltar ao topo

Voltar ao índice